Você está em:

Por que devemos trabalhar com estoque muito baixo

Trabalhar com estoque baixo é uma necessidade das empresas que almejam ter um fluxo de caixa positivo. É preciso “segurar o dinheiro” ou a liquidez da empresa pode ser prejudicada. Adotar o estoque mínimo é a estratégia mais inteligente que qualquer gerente de compras ou mesmo gerente financeiro em conjunto com o gerente de compras poderiam fazer pelo caixa da empresa. Vamos pensar melhor sobre isso e veremos que trabalhar com estoque mínimo é super importante para a subsistência de uma organização e também poupar espaço físico dentro dela.

Exemplo de uso de estoque mínimo/baixo

Imagine uma empresa que atua no mercado automobilístico. Ela fabrica carros e depois ela vende esses carros fabricados para o varejo.

Sabemos que uma linha de produção deve estar em funcionamento 24 horas por dia. Mas por quê? simples, se uma linha de produção, considerando que fabrique carros (deduzimos que é uma linha grande), pára, a empresa começa a gerar custo maior de produção devido aos colaboradores não estarem produzindo o suficiente a fim do custo ser diluído. Isso significa que teremos menos carros ao final do dia por exemplo e não conseguiremos diluir o custo por produto fabricado. Isso implicaria em sérias consequências para o caixa da empresa.

Muitas empresas adotam férias coletivas com o objetivo de não manterem a maioria dos colaboradores envolvidos na produção do produto com o objetivo de não gerar banco de horas nem horas extras. Afinal, as férias coletivas geralmente ocorrem devido a “baixa do mercado” – Quando as vendas caem, é normal ocorrerem as férias coletivas. Também temos que ressaltar que as férias coletivas ocorrem devido a manutenção de equipamentos também. Mesmo os colaboradores em férias coletivas, seria menos oneroso ao caixa da empresa pagar o salário + abono pecuniário. O pior mesmo seria deixá-los na empresa sem estarem produzindo. Ainda nesse caso as empresas adotam a melhor forma possível de controlar o caixa com as férias coletivas pois o colaborador receberá no dia 5 do mês subsequente apenas alguns benefícios mas não o salário. Porém recebe o salário e mais o abono pecuniário quando sai de férias. Então temos ai um intervalo grande até a empresa pagar novamente o salário ao colaborador como se estivesse normalmente trabalhando (caso a empresa precise dar férias coletivas por 30 dias por exemplo). Mas, infelizmente em alguns casos a empresa precisa demitir o funcionário a fim de evitar uma possível inadimplência com seus fornecedores ou mesmo não conseguindo pagar o salário aos seus funcionários. Pior ainda é ela entrar em recuperação judicial. Então, um administrador de verdade sabe como deve agir nesse caso.

O estoque nesse período torna motivo de extrema cautela/controle. Se trabalharmos com um estoque mínimo teremos menor custo e um caixa maior nesses períodos de baixa demanda e muita oferta. O objetivo disso é usar tudo que há no estoque ( incluindo vender o mais rápido possível o produto acabados ) até esse momento de baixa acabar e indo comprando aos poucos para continuar produzindo de forma lenta e com poucos colaboradores na ativa.

Estoque mínimo - Como saber a quantidade certa

Exemplo de fluxo de caixa com estoque mínimo – Ponto de Equilíbrio

Digamos que em momento de alta ou venda em excesso, a empresa precise comprar no mínimo R$100.000,00 em matéria prima incluindo insumos e outras coisas como materiais de embalagem etc. Nesses R$100.000,00 estão as mercadorias necessárias para que o produto seja fabricado em perfeitas condições e seja vendido ao preço almejado. Digamos também que a empresa tenha uma margem de lucro por produto vendido de R$100,00. E sabemos também que a máquina que produz o produto possui uma despesa mensal de R$8.000,00 com manutenção. O custo de produzir esse produto é de R$50,00 por unidade utilizando todos os materiais necessários para o produto sair em condições adequadas da empresa e ser vendido ao consumidor final, também temos que considerar o custo de energia, coloque mais R$2.000,00. E tem mais, os colaboradores que fazem parte diretamente da produção desses produtos juntos geram um custo de R$50.000,00 por mês.

Então, uma empresa tem que considerar o custo e a despesa / Custos variáveis e os custos Fixos para se chegar a um ponto de equilíbrio e claro, no lucro. O custo se refere ao que tem a ver diretamente com a produção do produto, as despesas se referem com coisas que não tem a ver com a produção diretamente do produto mas são importantes como no caso do transporte dos produtos e imprevistos. Digamos que outras despesas gerem algo em torno de R$5.000,00 mensais. Em outras palavras, as despesas são como os custos fixos que independe da quantidade de produção, vão surgir da mesma forma, e os custos são como os custos variáveis que aumentam devido ao volume de produção.

Uma tabela de exemplo de custos fixos pode ser a seguinte:

Custo com salários de colaboradores não envolvidos diretamente na produção
Custo com transporte (mas nem sempre, dependendo do volume da produção pode se encaixar no custo variável devido a quantidade de viagens que o caminhão ou automóvel faça para entregar os produtos acabados)
Custo com manutenção

No caso dos custos variáveis pode ser o seguinte:

Custo com materiais de embalagem
Custo com matéria prima (diversas)
Custo com Salários de quem está envolvido diretamente na produção
Custo com energia (quanto mais se produz, maior o custo com energia)

Para mais informações sobre custos leia diferença entre custo e despesa

Linha de produção - Custo e trabalho

Se quisermos gerar um ponto de equilíbrio teremos que produzir no mínimo e no máximo 1.650 unidades desse produto e garantir a venda deles. Pois somando tudo que precisamos em momentos de alta R$100.000,00 (matéria prima) + R$50.000,00 ( custo dos colaboradores envolvidos diretamente na produção ) + R$8.000,00 (manutenção de máquina) + R$2.000,00 (custo de energia) + R$5.000,00 (despesas com transporte etc…) dá R$165.000,00.

Sabendo que a margem de lucro é de R$100,00 por produto vendido temos então que vender no mínimo 1.650 unidades dele, e se quisermos lucro teremos que fabricar e ter a certeza de venda de mais de 1.650 unidades.

Partindo desse principio, teremos o estoque enxuto nesse período de alta. Claro que esse exemplo é bastante simplório e grosseiro, afinal, a empresa é feita de diversos departamentos, se fôssemos considerar todo o corpo de funcionário da empresa e também as despesas que esses departamentos criam teríamos que pôr ai mais essa quantidade e novamente encontrar o ponto de equilíbrio disso tudo com o objetivo de não ter prejuízo, também teríamos que comprar mais matéria prima e produzir mais unidades, isso acarretaria em mais pessoas trabalhando e mais custo, e quanto mais custo maior a necessidade de diluir ele para não afetar o caixa da empresa. Mas como é para exemplo simples ficou interessante daquela forma (apenas para ter uma noção de como funciona).

O mesmo serviria para os períodos de baixa. Encontrar o ponto de equilíbrio entre receitas e despesas incluindo custo é primordial para trabalhar com estoque muito baixo sem ter problemas de falta de matéria prima.

Veja que em nosso exemplo o custo com matéria prima é alto (que geralmente é também na realidade das empresas) e se ele não for controlado devidamente, o fluxo de caixa da empresa vai sofrer muito se fizermos compras em momentos errados e isso pode acarretar em inadimplência por parte da empresa.

Just In Time – modo de produção japonesa

Empresas como Toyota adotam modo de produção Just In Time ou ao pé da letra “na hora”. E é exatamente isso. Existem etapas no processo de fabricação que podem surgir estoques e isso não acontece no Just In Time. É feito um produto por vez por isso o estoque torna-se mínimo durante essas etapas de produção, acumulando então o mínimo de estoque ou em alguns casos, estoque 0 que vai contribuir de forma inteligente com o espaço físico da empresa (não haverá motivos para ter um espaço grande entre uma etapa e outra para estocar matéria prima ou mesmo o produto em processo de fabricação) .

Quando uma dessas etapas possuem um “gargalo” ou atraso, simplesmente toda a produção pára com o intuito de não gerar estoque e também solucionar rapidamente esse gargalo que pode ter ocorrido devido a um defeito na linha de produção por exemplo.

Como as pessoas ganham dinheiro na Internet
como-ganhar-dinheiro-com-a-internet
Postagem publicada em
e atualizada em 22 de julho de 2013
Postado por Rodrigo Martinelli
Postado em: Administração, Artigos, Curiosidades, Diversos, Dúvidas, Finanças, O motivo, Qual  
Tags: , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PiPo-Smart-S1-Pro-7-Frontal