Você está em:

NOTAÇÃO DE XADREZ

Cada casa do tabuleiro e cada peça têm designação própria. Isto possibilita um registro prático de todos os lances de uma partida e sua preservação por tempo interminável. Graças à notação sabemos hoje como jogavam Philidor, La Bourdonnais ou Stauton. Os criptogramas nas colunas de xadrez dos jornais não são outra coisa. Resumidamente, pode-se dizer que a notação consigna, qual a peça jogada e de que casa para que casa ela é movida.
Tabuleiro de xadrez  
Há dois sistemas de notação: o descritivo e o algébrico. Em nosso meio, o mais usado é o sistema algebrico.

                     Notação descritiva:

Nela, cada coluna é particularizada de acordo com a peça que originalmente ocupa a casa da primeira linha, a saber: a coluna da torre da dama (TD), do cavalo da dama (CD), do bispo da dama (BD), da dama (D), do rei (R), do bispo do rei (BR), do cavalo do rei (CR) e da torre do rei (TR). As linhas são numeradas de 1 a 8, de baixo para cima, quer para o jogador das peças brancas, quer para o condutor das peças pretas, resultando daí que a mesma casa tem um número para as brancas e outro diferente para as pretas. Para distinguir as peças usam-se as respectivas letras iniciais: rei = R, dama = D, torre = T, bispo = B, cavalo = C, e peão = P. A anotação de um lance é feita indicando-se a peça movida e a casa que ela passou a ocupar. Por exemplo, se o peão diante do rei das brancas, no primeiro lance da partida, avança uma casa, e o peão à frente do rei das pretas, em resposta, faz o mesmo, anota-se:
1. P3R____P3R.
Se no decorrer da partida o rei passa da sua casa original (1R) para a casa à sua frente, escreve-se: R2R; e se dali se desloca para a casa vizinha, diante da dama: R2D. Se a dama se mover para a quinta casa da torre do rei, o registro é D5TR, e se o bispo correr da terceira casa do rei para sexta casa do cavalo da dama, B6CD.
Todavia, na notação omite-se tudo que é supérfulo. Em relação ao ance da dama acima descrito, por exemplo, bastará escrever D5T em vez de D5TR, se em face da posição das peças no tabuleiro, no momento do unício da partida, as brancas, após o primeiro lance P3R, levem o bispo do rei para a casa 4BD, anotaremos então apenas B4B, pois é evidente que se trata da quarta casa do bispo da dama e não da quarta casa do bispo do rei, de vez que está só poderia ser ocupada pelo outro bispo, o da dama que, entretanto, ainda está bloqueado pelo peão da dama e não pode sair da sua casa original. Outro exemplo: o cavalo do rei encontra-se na casa 3BR, em vez de C3BD, ou de CD3BD, já está ocupada pelo outro cavalo. Da mesma forma, num movimento ou numa captura de peão, é dispensável distinguir o peão do cavalo da dama se encontra em 2CD, e o peão do cavalo do rei postado em 4CR avança mais uma casa, o registro resume-se a P5C. Por outro lado, todas as vezes que duas peças da mesma espécie podem ocupar a mesma casa, temos de indicar com toda a clareza qual delas é movimentada. Por exemplo, se o cavalo do rei está em3BR e o cavalo da dama em 4BD, ambos podem dali saltar para 5R. Conforme o lance, devemos anotar C(3BR)5R, ou C(4BD)5R, para evitar ambiguidade, ou então, mais abrevidamente, C(3)5R ou C(4)5R.

Notação algébrica:

No sistema algébrico, inventado no ano de 1786 por um certo Moses Herschel, as 8 colunas do tabuleiro, vistas do lado do jogador com as peças brancas, são identificadas pelas letras a, b, c, d, e, f, g, h, da esquerda para a direita, e as 8 linhas pelos números 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, e 8, de baixo para cima.

A identificação das peças é igual à usada no sistema descritivo, com uma exceção: os peões não são especificados.
A notação algébrica é simples e prática, pois nela cada uma das 64 casas do tabuleiro só tem uma única designação. O movimento de uma peça é anotado indicando-se, depois da inicial da peça movida, a casa que esta deixou e a que passou a ocupar. Se o bispo colocado na terceira casa da coluna do rei branco move-se para a sexta casa da coluna do cavalo da dama, escreve-se Be3-b6. O avanço do peão branco da quarta para a quinta casa da coluna do bispo do rei abrevia-se f4-f5. No caso de uma torre postada na terceira casa da coluna da torre do rei branco tomar um cavalo inimigo na terceira casa da coluna do bispo da dama branca, será anotadoTh3xc3, e assim por diante. (O sinal “x” significa captura).

               Qual é o sentido prático disso?

Ora, a notação propicia-nos a possibilidade de analisar as nossas partidas e descobrir erros porventura cometidos. Mais ainda, podemos reproduzir nos nossos tabuleiros partidas jogadas por terceiros, inclusive por mestres de outras épocas, divertindo-nos com suas maneiras de jogar, deslindando o segredo das suas desconcertantes combinações e revivendo em nossa imaginação as suas idéias e concepções geniais. Este é o método mais fácil de estudar e aprender este jogo fascinante.

Publicado por Rodrigo Martinelli

Sou Rodrigo Martinelli, formado em administração e matemática.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *