Você está em:

As melhores opções de investimento para render mais que a Poupança

Fundo de renda fixa:

Os gestores usam seu dinheiro para, com outros montantes de outros clientes, investir em títulos da dívida pública pré-fixados. Bom quando os juros estão em tendência de baixa, como agora. Risco: baixo; Rentabilidade: baixa para média; Cuidados: taxa de administração e alíquota de IR;

Fundo Referenciado DI:

Ao contrário do anterior, aqui os gestores investem em títulos pós-fixados, o que em situação de juros baixos deixa de ser tão atraente. Mas, ainda assim, encontra-se bons fundos deste tipo no mercado. Risco: baixo; Rentabilidade: baixa para média; Cuidados: taxa de administração e alíquota de IR;

Fundo de Ações:

Aqui os gestores usam seu dinheiro para comprar ações na Bolsa de Valores. A carteira e o montante aplicado em cada ativo é uma decisão do gestor e a você cabe analisar o risco do fundo e se existem melhores carteiras e fundos em diferentes instituições.

As carteiras normalmente contemplam empresas que pagam dividendos, small caps (empresas de pequeno porte) e empresas de grande porte (Petrobras, Vale etc). Risco: alto; Rentabilidade: média para alta (longo prazo); Cuidados: oscilação do mercado, taxa de administração, taxa de performance e gestão do fundo (ativa ou passiva);

Fundo Multimercado (ou Misto):

É um produto bancário onde renda variável (ações), câmbio e renda fixa se misturam. A carteira é composta de títulos públicos, privados, ações e moeda estrangeira. Atrativo para os que ainda não estão totalmente prontos para encarar o sobe e desce do mercado de ações, mas já aceitam a idéia de arriscar-se um pouco mais; Risco: médio para alto; Rentabilidade: média; Cuidados: taxa de administração, composição da carteira (maioria em ações, títulos etc) e gestão do fundo;

Tesouro Direto:

Títulos públicos são uma forma do Governo Federal conseguir recursos financeiros para o financiamento da dívida pública e para investimentos em infra-estrutura, educação, saúde etc. Você compra um título, paga o Governo e ele usa este seu dinheiro para financiar ou aplicar no crescimento do país. Risco: baixo; Rentabilidade: baixa para média; Cuidados: momento da compra, pois as rentabilidades variam (de acordo com a Selic);

CDB:

Da mesma forma que o governo emite títulos para conseguir dinheiro, os bancos emitem certificados (os CDBs). Você compra o título privado, o banco usa seu dinheiro e paga um juros anual. Risco: baixo; Rentabilidade: baixa para média: Cuidados: a rentabilidade é sempre atrelada ao CDI. Procure rentabilidade de ao menos 85% do CDI.

Lembrete importante

É importante lembrar que opções ruins de investimento existem em todas as categorias de aplicações e vou terminar com um exemplo: o que faria alguém comprar cotas em um fundo de ações Petrobrás (de qualquer banco) ao invés de comprar as ações diretamente na Bolsa? Puro desconhecimento. E por essa falta de conhecimento, paga-se de 2% a 3% ao ano para o banco. É justo não é mesmo? As ações compradas, o risco e o retorno são os mesmos.

Espero ter colaborado e despertado a vontade de ir mais além no conhecimento destas opções de investimento, especialmente da poupança. Lembre-se de também ler alguns bons livros, investir em educação financeira e consultar periodicamente o Dinheirama.

Como as pessoas ganham dinheiro na Internet
como-ganhar-dinheiro-com-a-internet
Postagem publicada em
Postado por Rodrigo Martinelli
Postado em: Artigos, Curiosidades, Negócios  
Tags: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PiPo-Smart-S1-Pro-7-Frontal